Ford Ranger XLS 2.2 AT 4×4 tem a melhor relação custo-benefício

A picape Ford Ranger 2020 tem três configurações para a versão XLS (intermediária): 4×2 AT, 4×4 MT e 4×4 AT. Avaliamos essa última, com tração 4×4 e câmbio automático de seis velocidades. Todas as Ranger XLS usam o motor 2.2 a diesel, com turbocompressor. Abaixo delas ainda existe mais uma versão 2.2, a XL MT, também a diesel. Acima, existem duas versões já avaliadas pelo Guia do Carro: a XLT (topo de entrada) e a Limited (topo de linha). As duas têm tração 4×4 e câmbio automático, mas o motor turbodiesel é 3.2. Por isso, a Ranger XLS 2.2 Diesel 4×4 AT pode ser considerada a versão com o melhor custo-benefício da linha.

A principal diferença em relação às duas versões topo de linha está mesmo no motor. Enquanto o 3.2 entrega 200 cv de potência, a XLS 2.2 tem 160 cavalos. Quanto ao torque, a Ranger 3.2 dispõe de 469 Nm e a 2.2 tem 385 Nm. A relação peso/potência entre uma XLS 2.2 e uma XLT 3.2 é de 13,2 kg/cv para a primeira e de 11,7 kg/cv para a segunda, o que tira uma estrela da Ranger XLS em desempenho. Porém, a diferença na relação peso/torque nem é tão grande: 5,5 kg/Nm para a XLS 2.2 e 4,7 kg/Nm para a XLT 3.2. Isso significa que a Ranger XLS 2.2 tem boas arrancadas na utilização em baixa velocidade.

Foto: Sergio Quintanilha

Ranger XLS: motor 2.2 a diesel

Este, aliás, é um dos destaques da Ford Ranger 2020: é um veículo que pode ser usado até mesmo na cidade. Para quem está acostumado com picapes que mais parecem caminhões na dirigibilidade, a Ranger 2020 surpreende por ser bastante amigável no trânsito. A nova suspensão deixou a Ranger mais confortável no rodar, tanto na cidade quanto na estrada. Outra atrativo da Ranger XLS 2.2 é que ela não teve aumento de preço. A 4×4 automática, óbvio, é a mais cara: R$ 154.610. Mas o conforto dessa transmissão vale a pena, pois a diferença para a 4×4 manual é de pouco mais de R$ 7.000.

Rodando, a Ranger XLS 2.2 AT 4×4 não chega a ser tão silenciosa como as versões 3.2, pois o motor trabalha em regimes maiores em algumas ocasiões. Mas não é nada que incomode. Ela roda normalmente com tração 4×2, mas basta um pequeno giro no botão do console para virar 4×4 ou dois giros para ser 4×4 com reduzida. Para quem enfrenta pisos com lama ou areia, é uma segurança. E mesmo no asfalto liso, na chuva, a tração 4×4 é muito mais segura. Fora que ela já vem com sete airbags. Ao volante da Ranger XLS 2.2 o motorista realmente não tem muito do que reclamar. A posição de dirigir é excelente, o volante é grosso e tem ótima empunhadura, a central multimídia está bem acessível, assim como o quadro de instrumentos é fácil de ler e tem computador de bordo.

Foto: Sergio Quintanilha

Painel bem resolvida e conectividade amigável

Alguns carros têm muito espaço interno, mas não usa o usa bem. Na Ranger, não. Os porta-objetos são grandes, espalhados e bem localizados. O desenho da cabine é simples, mas não simplório, por isso o bom gosto é notado. Claro que a Ranger XLS 2.2 não tem a sofisticação de um SUV de luxo, mas a proposta é outra, certo? Dentro do que se propõe, a Ranger XLS 2.2 carrega com muito conforto cinco pessoas e dá conta das tarefas obrigatórias. A caçamba tem 1.180 litros e sua capacidade de carga é de 1.084 kg. Graças às modificações feitas no motor, a Ranger é capaz de atravessar riachos ou passar por trechos inundados de até 800 mm de altura. O vão livre do solo é de 232 mm. Até para estacionar ela é boa, pois não é tão larga, por exemplo, como um Porsche Cayenne.

A diferença de preço da Ranger XLS 2.2 para a XLT 3.2 é de quase R$ 22.000. Numa XLS, além do motor maior, o comprador abre mão de itens como bancos e volante de couro, navegador, faróis automáticos, sensor de chuva e outros detalhes eletrônicos de conveniência (mas que na prática não fazem falta), além das rodas de liga leve de 18” (na XLS, são de 17”). Porém, em relação à XL, de entrada, a Ranger XLS traz sete airbags, retrovisores elétricos, piloto automático, câmera de ré e sensor de estacionamento, por exemplo. Por tudo que foi falado, em termos de custo-benefício, consideramos a Ranger XLS 2.2 AT 4×4 a melhor compra dentro da linha 2020.

Foto: Sergio Quintanilha

A Ranger supera trechos com água de até 800 mm

O que é novo

  • Ar-condicionado digital dual zone.
  • Central multimídia Sync 3 com tela tátil de 8” e comando de voz.
  • Quadro de instrumentos configurável com duas telas de 4,2”.
  • Novos faróis de neblina.
  • Acabamento aprimorado no painel, portas e console (que é novo).
  • Nova suspensão dianteira
  • Design dos faróis principais, faróis de neblina e para-choque.
  • Barra de torção na porta da caçamba, reduzindo o peso na hora de abrir e fechar.

O que nós gostamos

  • A nova suspensão ficou ótima.
  • Câmbio automático de seis marchas.
  • O sistema de conectividade Sync 3 é ótimo.
  • Duas entradas USB e ar-condicionado de duas zonas.
  • Posição de dirigir, banco traseiro com três encostos de cabeça e túnel central baixo.
  • Capacidade off road, especialmente na água.

O que pode melhorar

  • A relação peso/potência ficou baixa.
  • Na estrada, ela demora muito para alcançar boa velocidade.
  • Foto: Sergio Quintanilha

    A parte frontal foi toda modificada

Os números

Preço: R$ 156.610
Motor: 2.2 turbodiesel
Potência máxima: 160 cv
Torque máximo: 385 Nm
Câmbio: 6 marchas AT
Comprimento: 5,354 m
Largura: 1,860 m
Altura: 1,821 m
Entre-eixos: 3,220 m
Peso: 2.116 kg
Pneus: 265/65 R17
Caçamba: 1.180 litros
Capacidade de carga: 1.084 kg
Tanque: 80 litros
0-100 km/h: 15s0
Velocidade máxima: 164 km/h
Consumo cidade: 8,4 km/l
Consumo estrada: 10,4 km/l
Emissão de CO2: 218 g/km
Modelo avaliado: 2020

Foto: Sergio Quintanilha

Rodas de 17″ e pneus de uso misto

Veja outros carros dessa Categoria

Fiat Toro Freedom S-Design 2.0 AT9 4×4

Fiat Toro Freedom S-Design 2.0 AT9 4x4


Fiat Toro Freedom S-Design 2.0 AT9 4x4

VEREDICTO: Com motor 2.0 a diesel, tração 4x4 e um design diferenciado, a Fiat Toro Freedom destaca-se em estilo, conforto, praticidade e conectividade. O que é novo A versão Freedom S-Design estreou na Fiat Toro na linha 2020. É um conceito italiano que combina estilo e conteúdo. O S vem...

Fiat Toro Volcano 2.0 AT9 4×4

Fiat Toro Volcano 2.0 AT9 4x4


Fiat Toro Volcano 2.0 AT9 4x4

VEREDICTO: A picape Fiat Toro é a melhor ideia da década. Com câmbio automático de nove marchas, tração 4x4 sob demanda e motor 2.0 a diesel, a versão Volcano é uma excelente compra. O que é novo A Fiat Toro Volcano teve poucas mudanças desde seu lançamento. Na linha 2020, a picape recebeu...

Fiat Toro Freedom 1.8 AT6

Fiat Toro Freedom 1.8 AT6


Fiat Toro Freedom 1.8 AT6

VEREDICTO: A Fiat Toro Freedom foi reposicionada e está disponível apenas com câmbio automático. Ele é de seis marchas nesta versão 1.8 flex e de nove marchas na 2.0 a diesel. A versão Freedom 1.8 não oferece mais tração 4x4. O que é novo Na linha 2020, a Fiat Toro Freedom ganhou uma nova...

6 Comentários

  1. Renato da Costa e Silva Rebelo Sampaio 4 dias atrás
    Responder

    Carro excelente!!!
    A minha faz 11,6 Km/l no percurso cidade/estrada. Revisões baratas, além da ótima dirigibilidade!!

  2. Eduarso 4 dias atrás
    Responder

    Gostei da f350 na foto

  3. sandro 3 dias atrás
    Responder

    eu tive uma 2018 e achei uma merda , fraca , suspensão barulhenta , consumo altíssimo , isso que só usava para passeio , venci com 15000 km antes que acabasse rsrsrs

  4. Ed 2 dias atrás
    Responder

    O que ja era bom ficou melhor ainda. Tenho uma 2017, otimo carro!

  5. Bidao 2 dias atrás
    Responder

    Uma pena a Ford ter retirado de linha a ranger flex. Mesmo bem gastona, andava muito bem, 0 a 100 em 12 s contra 15s dessa diesel.

Deixe um comentário