Honda City EXL 1.5
Desempenho 3
Consumo 4
Segurança 5
Conectividade 2
Conforto 3
Pacote de série 4
Mercado 0

O City EXL é o topo de linha e vem com seis airbags de série. O que é novo Não houve mudança na versão EXL para a linha 2019. Desde a linha 2018 toda a linha City apresenta um visual melhorado. A mudança mais marcante foi na grade, que ganhou uma peça única cromada, de ..

Summary 3.5 muito bom
Desempenho 3.6
Consumo 3.6
Segurança 3.8
Conectividade 2.8
Conforto 3.8
Pacote de série 2.4
Mercado 0
Faça sua própria avaliação deste carro. Clique nas estrelas acima e dê sua nota: 1= ruim; 2= básico; 3= médio; 4= bom; 5= ótimo. Depois clique em “Aceitar”. Você só pode votar uma vez .
Aceitar
Summary 3.3 muito bom

O City EXL é o topo de linha e vem com seis airbags de série.

O que é novo

  • Não houve mudança na versão EXL para a linha 2019. Desde a linha 2018 toda a linha City apresenta um visual melhorado. A mudança mais marcante foi na grade, que ganhou uma peça única cromada, de farol a farol, valorizando o logotipo da Honda. Os faróis são Full LED e trazem luzes diurnas de LED.

O que nós gostamos

  • O City é um carro bem equipado em todas as versões, mas nesta topo de linha ele tem mais sofisticação e equipamentos extras. O ar-condicionado é digital touchscreen. Entre os equipamentos, destacamos a direção elétrica muito boa em todas as condições de utilização, duas entradas USB bem localizadas, rebatimento elétrico dos retrovisores, volante com ajuste de altura e profundidade, além de vidros/travas elétricas nas quatro portas.
  • O City EXL vem com seis airbags de fábrica.
  • O carro é bom de dirigir, com fácil e cômoda posição para o motorista e instrumentos muito bem posicionados.
  • O porta-malas de 536 litros é bastante generoso.

O que pode melhorar

  • A interface para uso dos sistemas Android Auto e Apple CarPlay não é intuitiva e requer orientação na concessionária.
  • Apesar de ser mais sofisticado e ter alguns equipamentos extras, o City EXL (tipo de linha) teve a mesma nota final que o EX (intermediário), pois o que oferece a mais não é tão relevante.
  • Falta uma abertura externa para o porta-malas sem uso da chave.
  • O City EX conta até com borboletas para trocas de marchas manuais, mas o câmbio CVT não é nenhum pouco empolgante. Em algumas situações, o motor 1.5 deixa a desejar e as antecipações de marcha são um pouco lentas.
  • Ao contrário do Fit, o Honda City continua sem os importantes controles eletrônicos de tração e estabilidade. A ausência dessa tecnologia até na versão topo de linha impediu que o City ganhasse cinco estrelas em segurança.

Os números

Ano: 2019 
Preço: R$ 85.400*
Motor: 1.5 flex
Potência máxima: 116 cv (e)
Torque máximo: 150 Nm (e)  
Câmbio: 7 marchas CVT
Comprimento: 4,455 m
Largura: 1,695 m
Altura: 1,485m
Entre-eixos: 2,600 m
Pneus: 185/55 R16
Peso: 1.135 litros  
Porta-malas: 536 litros
Tanque: 46 litros
0-100 km/h: 11s3
Vel. máxima: 175 km/h
Consumo cidade: 12,3 km/l (g))
Consumo estrada: 14,5 km/l (g)
Emissão de CO2: 101 g/km

*Veja o preço atualizado no site do fabricante.

Veja outros carros dessa Categoria

Peugeot 208 Active Pack 1.2

Peugeot 208 Active Pack 1.2


Peugeot 208 Active Pack 1.2

Em relação à versão de entrada do Peugeot 208, a Active Pack acrescenta volante revestido de couro, chave reserva tipo canivete, faróis de neblina, câmera de ré e rodas de liga leve aro 15’’. O que é novo Em 2016, o Peugeot 208 foi reestilizado e passou a contar com novo motor para as...

Peugeot 208 Active 1.2

Peugeot 208 Active 1.2


Peugeot 208 Active 1.2

O Peugeot 208 Active é o carro de entrada da marca francesa no Brasil. Equipada com o motor 1.2 Pure Tech de três cilindros, esta versão se destaca pelo consumo de combustível e pelos equipamentos de série. O que é novo Para a linha 2017, o Peugeot 208 passou por leves mudanças no visual e...

Peugeot 208 Allure 1.2

Peugeot 208 Allure 1.2


Peugeot 208 Allure 1.2

O Peugeot 208 equipado com o motor 1.2 de três cilindros é classificado como um dos carros mais econômicos do Brasil. A versão Allure é a topo de linha equipada com esse motor e traz itens exclusivos para a categoria, como teto panorâmico e ar-condicionado digital automático de duas zonas. O...

1 Comentário

  1. Roberto 29 dias atrás
    Responder

    Não entendo porque as fábricas trazem modelos de carros do exterior para produzir no Brasil sem uma importante modificação.
    Os fabricantes fazem muitas adaptações necessárias para as nossas condições. Alguns reforçam as suspensões, eliminam acessórios e itens de segurança, modificam o sistema de combustível para aceitar o etanol.
    Mas nenhum altera a capacidade do tanque de combustível. Acho inconcebível ter carros flex com tanques com menos de 45m 45 ou 46 litros de capacidade. O pior, está capacidade é a total co a reserva e, não a capacidade útil. Carros flex deveriam ter a capacidade aumentada em pelo menos 15% para garantir viagens tranquilas sem reabastecimentos neste país de grandes distâncias.

Deixe um comentário