Porsche Cayenne Turbo: V8 4.0 mais potente e carisma da marca
Desempenho 5
Consumo 1
Segurança 5
Conectividade 5
Conforto 5
Pacote de série 5
Mercado 2

O Porsche Cayenne chegou à terceira geração apenas 14 anos depois de ter nascido sob intensa polêmica. Muitos fãs não admitiam a existência de um SUV na marca esportiva. Porém, se não fosse o sucesso do Cayenne, talvez a Porsche não estivesse fabricando nem o famoso 911 Carrera, pois a empresa estava em crise. Hoje, ..

Summary 4.0 ótimo
Desempenho 0
Consumo 0
Segurança 0
Conectividade 0
Conforto 0
Pacote de série 0
Mercado 0
Faça sua própria avaliação deste carro. Clique nas estrelas acima e dê sua nota: 1= ruim; 2= básico; 3= médio; 4= bom; 5= ótimo. Depois clique em “Aceitar”. Você só pode votar uma vez .
Aceitar
Summary 0.0 ruim

O Porsche Cayenne chegou à terceira geração apenas 14 anos depois de ter nascido sob intensa polêmica. Muitos fãs não admitiam a existência de um SUV na marca esportiva. Porém, se não fosse o sucesso do Cayenne, talvez a Porsche não estivesse fabricando nem o famoso 911 Carrera, pois a empresa estava em crise. Hoje, o novo Cayenne é a expressão de uma Porsche que não apenas vai muito bem financeiramente como manteve sua alma intacta, mesmo fabricando utilitários esportivos de luxo.

O Cayenne Turbo que avaliamos é o topo da linha. Embora todas as versões agora sejam turbinadas, só a versão com o nome Turbo é empurrada por um motor V8 4.0 biturbo. Ele tem 550 cv de potência e 770 Nm de torque. São 250 cavalos a mais (quase o dobro) da versão de entrada V6 3.0, que já tínhamos avaliado. Em compensação, a diferença de preço também é brutal: quase R$ 310.000. Isso considerando o Cayenne Turbo “básico”, pois só de opcionais o modelo avaliado carrega cerca de R$ 200.000, o que eleva seu preço para além dos R$ 900.000.Portanto, que fique claro: o novo Porsche Cayenne Turbo é para poucos mesmo!

Em relação ao Cayenne Turbo da geração anterior, o atual ganhou 30 cavalos de potência. Entre seus recursos tem até eixo traseiro direcional (opcional de quase R$ 12.000). Outros itens excelentes são a suspensão a ar e o spoiler traseiro adaptativo com cinco modos de utilização, de acordo com a velocidade atingida. É impossível tirar todo o potencial do novo Porsche Cayenne Turbo na estrada, pois suas velocidades são insanas, além de proibidas. Com o pacote Sport Chronos incluindo seletor de modo de condução (R$ 6.300), o Cayenne Turbo acelera de 0-100 em 3,9 segundos. Não é apenas na arrancada da primeira marcha que ele joga o corpo dos ocupantes para trás — na segunda, na terceira e na quarta também. Como dissemos, falta pista para ele.

Foto: Sergio Quintanilha

A traseira agora tem uma faixa luminosa.

Com tanta cavalaria disponível, tanta tecnologia embarcada e tanto valor às mãos, dirigir o Porsche Cayenne Turbo é uma experiência emocionante o tempo todo. Em algumas situações, um carro tão caro chega a ser chocante diante da crescente pobreza nas ruas brasileiras. Na estrada, é preciso ter bom senso, porque as respostas são poderosas. O conforto, tanto para o motorista quanto para os passageiros, é incrível. O carro avaliado dispunha de quatro alturas para o chassi (baixo, médio, alto e off road) e três ajustes de suspensão, que podem deixar o carro mais duro ou com um rodar bem macio. Com a suspensão dura, não há rolagem da carroceria nas curvas; com ela mole, a rolagem é mínima.

Outra coisa que agrada bastante no Porsche Cayenne Turbo é a interface dos comandos, todos muito intuitivos, apesar da grande quantidade de itens que existe no volante, no painel e no console central. O bom gosto e a qualidade são perceptíveis em cada detalhe, o que torna o Cayenne um SUV realmente superior. O volante traz o comando dos modos de condução num botão giratório, como em outros Porsche. Rodando a 100 km/h, por exemplo, o motor trabalha a 2.000 rpm no modo normal, sobe para 3.000 rpm no modo Sport e pula para 4.000 no Sport+.

Foto: Sergio Quintanilha

Quadro de instrumentos com cinco mostradores.

Essas mudanças automáticas de marcha são visíveis com os saltos que o ponteiro do conta-giros dá no mostrador central do quadro de instrumentos. No total, são cinco mostradores redondos, com inúmeras possibilidades de visualização facilmente controladas por duas minúsculas esferas posicionadas nos dois lados do volante. O navegador pode transformar os dois mostradores da direita em um só, se o motorista desejar. Além disso, a tecla response, para dar gás total durante 20 segundos, é de série no Cayenne Turbo.

O powertrain reúne o motor V8 4.0 com dois turbocompressores e um novo câmbio tiptronic de oito marchas com conversor de torque. O objetivo da Porsche foi balancear melhor a performance e o conforto — e o carro realmente pode ser usado de forma moderada na cidade e como um esportivo na estrada. A primeira marcha ficou mais curta para melhorar o uso off road e a oitava foi alongada para que o Cayenne atinja maiores velocidades. A sétima e a oitava marchas são overdrive (uma tentativa de melhorar o consumo, que é bem alto, nota E no Inmetro).

Foto: Sergio Quintanilha

O novo Cayenne ficou mais comprido.

Embora pese mais de duas toneladas, o novo Porsche Cayenne Turbo não passa a mesma sensação de carro pesado que notamos na versão V6 3.0. Claro que isso é obra do motor com quase o dobro de potência. Por isso, seu desempenho ganhou cinco estrelas do Guia do Carro. Outro item que ajuda bastante na dirigibilidade é a nova suspensão. A geração anterior usava o duplo A e essa adotou os multibraços, dando ainda maior estabilidade ao Cayenne. Seja em busca de desempenho ou de conforto, para quem tem essa dinheirama toda o novo Porsche Cayenne Turbo é uma compra que devolverá tudo que se espera de um SUV de luxo.

O que é novo

  • O design teve mudanças leves, com novos paralamas, novas rodas e uma grade frontal que abre e fecha. Na traseira, as lanternas em 3D agora são conectadas por uma faixa central, luminosa, na qual aparece a palavra Porsche.
  • O câmbio automático de oito marchas é novo e o motor V8 4.0 ganhou 30 cavalos extras.
  • A suspensão foi modificada, agora é multilink e com opção de ser pneumática.
  • O carro cresceu 6,3 cm no comprimento e 2,9 cm na largura, mas ficou 1 cm mais baixo. E o porta-malas ganhou mais 100 litros de capacidade.
  • A tela multimídia de 12” Full HD e o retrovisor interno sem moldura também são novos.
  • Foto: Sergio Quintanilha

    Painel completíssimo e intuitivo.

O que nós gostamos

  • Os ajustes de altura do chassi e da suspensão são incríveis e deixam o carro ao gosto do motorista.
  • O desempenho é excepcional e o câmbio de oito marchas está perfeitamente ajustado para entregar toda a potência.
  • A tração é integral permanente e um mostrador no painel mostra quase sempre a proporção de 80% na traseira e 20% na dianteira, passando um pouco mais para a frente de acordo com a situação.
  • As rodas de 21” são lindas. O carro que avaliamos estava com as rodas opcionais Cayenne Exclusive, que custam R$ 8.700.
  • O interior bordô também é opcional e dá exclusividade ao carro (por mais R$ 3.500).
  • O rebatimento dos espelhos retrovisores ajuda a sair do carro em algumas vagas apertadas.
  • Foto: Sergio Quintanilha

    Interior bordô é opcional

O que pode melhorar

  • Apesar da funcionalidade (abre e fecha), a grade dianteira está longe de ser uma das mais bonitas no reino dos SUVs de luxo.
  • Os dois turbocompressores não deram conta de eliminar totalmente o retardo nas respostas ao acelerador numa condução esportiva.

Os números

Preço: R$ 732.585
Motor: 4.0 V8
Potência: 550 cv
Torque: 770 Nm
Câmbio: 8 marchas AT
Comprimento: 4,926 m
Largura: 1,983 m
Altura: 1,673
Entre-eixos: 2,895 m
Peso: 2.175 kg
Pneus: 285/40 R21 (d) e 315/35 R21 (t)
Porta-malas: 770 litros
Tanque: 90 litros
0-100 km/h: 3s9
Velocidade máxima: 286 km/h
Consumo cidade: 5,5 km/l
Consumo estrada: 7,0 km/l
Emissão de CO2: 228 g/km
Modelo avaliado: 2019

  • 20190731_154636-Copy.jpg
  • 20190731_154801-Copy.jpg
  • 20190731_160954-Copy.jpg

Veja outros carros dessa Categoria

Mercedes-Benz GLC 250 Sport: um SUV de luxo racional

Mercedes-Benz GLC 250 Sport: um SUV de luxo racional


Mercedes-Benz GLC 250 Sport: um SUV de luxo racional

O Mercedes-Benz GLC disputa com o Jaguar E-Pace a liderança no segmento de SUVs de luxo no mercado brasileiro. Lançado em 2016 como sucessor do GLK, o GLC é um utilitário-esportivo baseado no Mercedes Classe C. Só isso já demonstra sua racionalidade. Trata-se de um SUV de luxo de porte médio -...

Audi Q8 Performance Black: carisma, tração Quattro e “híbrido leve”

Audi Q8 Performance Black: carisma, tração Quattro e "híbrido leve"


Audi Q8 Performance Black: carisma, tração Quattro e "híbrido leve"

O novíssimo Audi Q8 é a aposta da marca alemã no segmento de SUVs de luxo. Ele chegou com a proposta de unir conforto, desempenho eficiente, tração integral e design esportivo. O Q8 já tinha sido apresentado no Salão de São Paulo de 2018. Ele é importado de Bratislava, Eslováquia, e está à venda...

Jaguar XE R-Sport P250: tração traseira com mais potência

Jaguar XE R-Sport P250: tração traseira com mais potência


Jaguar XE R-Sport P250: tração traseira com mais potência

O Jaguar XE já tem um papel importante na história da marca inglesa. Ele foi o carro que recolocou a Jaguar no mercado de sedãs de luxo, em 2015, após uma ausência de cinco anos, decorrente da descontinuação do sedã X-Type. Quando chegou ao Brasil, o Jaguar XE tinha uma opção com motor 2.0 de...

1 Comentário

  1. Jorge Gama 05/08/2019
    Responder

    O Porsche Cayenne não convenceu em termos de beleza em sua primeira aparição. Mas ao longo dos anos melhorou muito o visual e deixou de ser feio. Mas ainda está longe de figurar entre os top dos SUV em termo de beleza. O desempenho, principalmente a dinâmica, melhorou muito ao longo dos anos também. E justamente a dupla desempenho e dinâmica é o seu forte. Não sei sei se dividir a plataforma com o Touareg da VW lhe deu bons frutos, afinal, ele é para ser um SUV superesportivo. No fim todos esperam muito dele, afinal é construído pela montadora mais competente que existe.

Deixe um comentário